terça-feira, 31 de agosto de 2010

Nosso Lar - o filme

Dirigido por Wagner de Assis, o filme Nosso Lar estreia dia 3 de setembro. Certamente os espíritas serão os primeiros a lotarem as salas de cinema Brasil afora. Apesar de ser baseado em obra espírita (Livro Nosso Lar -psicografia Francisco Cândido Xavier), ele não é direcionado a um público específico. É um filme que fala da imortalidade.
Há quase um ano foram concluídas as filmagens. Após todo esse tempo de espera, às vésperas da estreia bate aquela ansiedade de apreciar detalhadamente esse trabalho. Trilha sonora belíssima composta pelo compositor americano Philip Glass e executada pela Orquestra Sinfônica de Brasília. Efeitos visuais desenvolvidos no Canadá pela empresa Intelligent Creatures, jamais vistos numa produção nacional. Direção de arte grandiosa. Uma história que prende a atenção.
Nosso Lar traz como tema central a vida após a morte. Mostra a história real do bem-sucedido médico André Luiz, que ao acordar do outro lado da vida, percebe não pertencer mais ao mundo dos encarnados. Numa dimensão cheia de perturbações, dores e dúvidas, começa sua nova jornada. Qual será seu destino?
Em virtude de ações invigilantes praticadas no mundo material, André Luiz permaneceu em zonas inferiores do mundo espiritual (umbral) por mais de oito anos consecutivos. Quando o orgulho cedeu lugar à compreensão e ele colocou-se em posição receptiva, foi resgatado por uma equipe de Espíritos socorristas. Na colônia espiritual Nosso Lar onde foi acolhido, descobriu um mundo pleno de vida e atividades organizadas de forma exemplar. É um local onde Espíritos procedentes da Terra passam por estágio de recuperação e educação espiritual. Não é o céu. É mais um hospital, uma escola, uma zona de trânsito e fica localizada acima do Rio de Janeiro.
Conforme o diretor Wagner de Assis, o diferencial do filme é a história muito poderosa. "É ela que conquistou os profissionais americanos. É ela que emociona no livro, faz pensar, faz a gente refletir mesmo sobre nossas origens. É ela que tem provocado reações muito intensas nas pessoas, mostrando conceitos importantes como suicídio inconsciente, a aplicação espiritual da lei de ação e reação, os novos paradigmas de se viver sabendo que a vida continua, que o túmulo não é o fim."
O livro que deu origem ao filme está em sua 60° edição no Brasil e já vendeu cerca de 2 milhões de exemplares. Foi traduzido para o inglês, alemão, francês, espanhol, esperanto, russo, japonês, tcheco, braile, grego e é um dos campeões de venda da literatura espírita - considerado como um dos 10 melhores do século XX. (Francinaldo Rafael)

Nenhum comentário:

Postar um comentário